HOMENAGEM A RAOUL SERVAIS

Sexta 29 | 15H00 | Cinemateca Portuguesa | Sala Luís de Pina

SERVAIS, Rudy Pinceel, Bélgica, 2018, 60’

Documentário realizado por um dos grande documentalistas da região da Flandres Belga. Um documento na primeira pessoa, onde ficamos a conhecer o pensamento, a estética e o humanismo de um dos maiores vultos da animação mundial, Raoul Servais.

Sexta 29 | 18H30 | Cinemateca Portuguesa | Sala Luís de Pina

HARPYA, Raoul Servais, Bélgica, 1979, 9’

Harpya é uma curta-metragem escrita e dirigida por Raoul Servais  em 1979. É uma mistura de imagm real e animação e um misto de horror e comédia negra. Conta com a participação dos atores Will Spoor, Fran Waller Zeper e Sjoert Schwibethus. O filme ganhou a Palma de Ouro de Melhor Curta-Metragem no Festival de Cannes de 1979.

TAXANDRIA, Raoul Servais, França, Bélgica, Alemanha, 1994, 82’

Um faroleiro conduz um jovem príncipe para um mundo imaginário, Taxandria. Aqui o menino aprende sobre o poder do amor e o valor da liberdade.

Taxandria é a única longa-metragem de Raoul Servais.  Destaca-se pelo uso do estilo de animação inventado por Servais, que ficou conhecido por servaisgrafia.

Sobre Raoul Servais

Nascido em 1928, Raoul Servais estudou na escola belga KASK, em Gent. Depois de se licenciar, foi assistente de René Magritte. Em 1963, financiou a criação de um departamento de Cinema de Animação na KASK Gent – o primeiro deste género na Europa. Em 1973, entra na Academia Real para a Ciência e as Artes da Bélgica. De 1985 a 1994, foi presidente da ASIFA –  Associação Internacional de Cinema de Animação. É um dos fundadores da VAF –  um fundo governamental que financia a produção de projetos audiovisuais na Flandres –  , e é vice-presidente da Fundação Henri Storck e da Fundação Raoul Servais. Servais é Doutor Honoris Causa na Universidade de Gent desde 2008

Recebeu mais de 50 prémios, entre os quais se destaca o prémio Herança Norman McLaren do NFB, o Grande Prémio do Júri no Festival de Cannes, uma Palma de Ouro também em Cannes com a sua curta-metragem “Harpya”, e o Grand Prix no Festival de Animação de Annecy, para além de outros prémios importantes em muitos outros festivais na Bélgica e no estrangeiro: Bilbau, Teerão, Montreal, Leipzig, Moscovo, Chicago, Filadélfia, Sydney, Oberhausen, Zagreb, Porto, Roma, Valladolid.