Sábado 23 | 18H00 | Cinema Ideal

HÁ PÂNICO NA ALDEIA

Bélgica, Luxemburgo, França | 2009 | 75’

Os brinquedos de plástico Cowboy, Índio e Cavalo também têm problemas. O plano do Cowboy e do Índio, de surpreender o Cavalo com um presente de aniversário feito à mão, vai  por água abaixo, quando eles destroem a casa do Cavalo. O três vivem aventuras verdadeiramente surreais enquanto viajam rumo ao centro da Terra, caminham pela tundra gelada e descobrem um universo paralelo subaquático, onde vivem criaturas (desonestas!) com cabeças bicudas. Cada personagem fala como se o ar que respira estivesse cheio de anfetaminas e gás hilariante –  e parece ter sido animada no mesmo contexto. Sendo o  pânico algo permanente na vida da vila feita de papier mâché onde vivem estas personagens, será que o Cavalo e a sua namorada vão conseguir estar sozinhos?

Realização: Stéphane Aubier & Vincent Patar

Distribuição: Coproduction Office

STÉPHANE AUBIER & VINCENT PATAR

Stéphane Aubier e Vincent Patar são dois escritores e realizadores de animação belgas, conhecidos por utilizar várias técnicas de animação: desde o acetato tradicional até à plasticina, passando pelos recortes. Conheceram-se em 1986, enquanto estudavam no Instituto de Belas-Artes de Saint-Luc, em Liège, e ambos se licenciaram em 1991 na Escola Superior de Artes Visuais da Universidade de La Cambre, em Bruxelas – uma conceituada escola de arte europeia. As suas carreiras estão fortemente ligadas desde esse primeiro encontro: os dois partilham um universo desenvolvido ao longo de muitos anos de colaboração.

Domingo 24 | 11H00 | Cinema Ideal

UMA VIAGEM AO MUNDO DAS FÁBULAS

França, Bélgica, Irlanda | 2009 | 71’

No século IX, numa zona remota da Irlanda, situa-se o mosteiro de Kells, onde vive Brendan, um rapaz de 12 anos. Brendan e os monges trabalham afincadamente para fortificar as paredes do mosteiro e protegê-lo de ataques dos Vikings. Com a chegada do Irmão Aidan, famoso mestre da iluminura e guardião de um livro extraordinário mas inacabado, Brendan começa uma vida de aventura. Quando Aidan inicia Brendan na arte da iluminura, desperta um talento prodigioso.

Brendan terá que acabar o tal livro extraordinário. Assim, dominando os seus maiores medos, parte numa demanda secreta que o levará pela primeira vez para fora das muralhas do mosteiro, e para dentro da floresta encantada, onde se escondem perigosas criaturas míticas. É nessa floresta que Brendan conhece a fada Aisling, uma rapariga-lobo misteriosa que o ajudará na sua missão.

Mas com a crescente proximidade das hordas de Vikings, será a arte de Brendan capaz de iluminar a escuridão e mostrar que o conhecimento é a melhor forma de proteção contra os bárbaros?

Realização: Tomm Moore, Nora Twomey

Argumento: Fabrice Ziolkowski

Música: Bruno Coulais

Distribuição: Celluloid Dreams, Tamasa Distribution

NORA TWOMEY

Após ter estudado animação em Dublin e em Paris, Nora juntou-se a Paul Young, Ross Murray e Tomm Moore, em 1999, para criar a sociedade de produção Cartoon Saloon. Nora realizou várias curtas-metragens de animação incluindo “From Darkness”, baseada num conto inuíte, e “CúilínDualach”, a história de um rapaz que nasceu com a cabeça ao contrário. Ambas foram nomeadas em inúmeros festivais e ganharam diversos prémios. Em 2005, Nora começou a co-produção de “The Secret of Kells” em colaboração com Tomm Moore. Hoje, continua ligada ao Cartoon Saloon e está a produzir um filme que mistura imagem real e animação,  baseado numa adaptação do conto “Barba Azul”.

TOMM MOORE

Desde a criação da sociedade Cartoon Saloon em 1999, Tomm Moore trabalhou em quase todos os projetos desta sociedade, quer seja em realização, storyboard, animação, criação gráfica de personagens ou ilustração. O seu primeiro filme  “The Secret of Kells” (2009) foi nomeado para os Óscares, e o mais recente, “A Canção do Mar” (2014), é uma longa inspirada em vários mitos do folclore irlandês, também nomeada para os Óscares.

Domingo 24 | 18H00 | Cinema Ideal

IMMORTEL, Enki Bilal, França, Itália, Reino Unido, France, Italy United Kingdom, 2004, 75′ 

(VO, LEG. PT)

IMMORTAL

França, Itália, Reino Unido | 2004 | 103’

Início do século XXIII. Algures nos três níveis de Nova Iorque, existe uma mulher com cabelo azul que chora lágrimas azuis – Jill Biskop. Jill ainda não sabe mas Horus, o deus com cabeça de falcão, atravessou o universo à sua procura. Horus tem apenas 7 dias de vida, ou seja, sete dias para encontrar Jill e seduzi-la. Mas para o fazer, precisa de possuir um corpo humano: escolhe Alcide Nikopol, um preso político que fora criogenizado há 30 anos por saber muito sobre o Apartheid nova iorquino. Horus, Nikopol e Biskop… uma ménage à trois onde tudo se distorce: vozes, corpos, memórias…Tudo menos o amor, que de alguma forma surge onde menos esperamos.

Realizador: Enki Bilal

Domingo 24 | 18H00 | Cinema São Jorge | Sala Manoel de Oliveira

MARY & MAX

Austrália | 2009 | 92’

Ao longo de 20 anos e percorrendo dois continentes, “Mary & Max” conta a história da relação entre dois ‘pen-pals’ muito diferentes: Mary Dinkle, uma menina gordinha e solitária de 8 anos, que vive em Melbourne, na Austrália; e Max Horovitz, um judeu obeso de 44 anos com síndrome de Asperger, que vive no caos nova-iorquino. Enquanto nos descreve a passagem da adolescência para a vida adulta de Mary, e a passagem da meia-idade para a velhice de Max, o filme também explora o laço que os une e que consegue sobreviver a tudo. “Mary & Max” é simultaneamente hilariante e comovente ao levar-nos numa viagem que explora amizade, autismo, taxidermia, alcoolismo, de onde vêm os bebés, obesidade, cleptomania, confiança, acasalamento de cães, agorafobia e muitas outras surpresas da vida.

Realização: Adam Elliot

Argumento: Adam Elliot

Produção: Melodrama Pictures

Distribuição: Parkcircus

ADAM ELLIOT

Realizador e escritor premiado, Adam Elliot é um animador independente premiado. Os seus filmes “Uncle”, “Cousin”, “Brother” e “Harvie Krumpet” já participaram em mais de 500 festivais de cinema e ganharam mais de 100 prémios, incluindo um Óscar, em 2004, para Melhor Curta-metragem de Animação com o filme “Harvie Krumpet”. Nascido a 2 de Janeiro de 1972, Adam Elliot herdou da mãe um tremor que veio a incorporar no seu estilo e se tornou emblemático do seu traço e animação. Em 1996, decidiu estudar animação na Victoria College of the Arts, a escola de belas-artes da Universidade de Melbourne. Aí, realizou o seu primeiro filme “Uncle”. Depois de se licenciar, em 1997, completou as outras duas partes da trilogia que começou com “Uncle”: “Cousin” e “Brother”. Em 2003, completou “Harvie Krumpet”, uma animação a plasticina, narrada por Geoffrey Rush e produzida por Melanie Coombs, da Melodrama Pictures. Em 2006, “Harvie Krumpet” foi incluído na lista Top 100 Filmes de Animação, do Festival de Animação Internacional de Annecy. Em 1999, Adam foi nomeado Young Victorian do ano e tornou-se um membro do júri da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. Também foi jurado em muitos outros festivais de cinema internacionais e é um orador muito procurado. Focando-se na diferença, com compaixão, humor e pathos, os filmes de Adam Elliot são sempre muito bem recebidos pelo público. Elliot é também o padrinho oficial do The Other Film Festival, o único festival de cinema australiano para pessoas com deficiência.

Segunda 25 | 18H30 | Cinemateca Portuguesa | Sala Luís de Pina

SONHO DE UMA NOITE DE VERÃO

Checoslováquia | 1959 | 76’

A animação “Sonho de uma Noite de Verão” utiliza marionetas para recontar a clássica peça de Shakespeare. Helena ama Demétrio, que está noivo de Hérmia, que por sua vez ama Lisandro. Para escapar ao casamento forçado, Hérmia convence Lisandro a fugir. Demétrio, Helena e um ateniense perseguem o casal por um bosque escuro onde acabam por se cruzar com um grupo de fadas maldosas e uma companhia de teatro desastrada.

Realização: Jiří Trnka

Argumento: Jiří Trnka, Jiří Brdečka;

Animação: Bohuslav Šrámek, Stanislav Látal, Břetislav Pojar, Jan Karpaš, Jan Adam, Vlasta Jurajdová

Edição de Vídeo: Hana Walachová

Música: Václav Trojan

Produção: Kreslený a loutkový film Praha

Distribuição: NFA

JIŘÍ TRNKA

Jiří Trnka  (1912-1969) não só foi um pioneiro do cinema de animação, como também um ilustrador, pintor, criador de marionetas, escultor e cenógrafo importante. O seu trabalho de animação foi apenas uma das muitas formas que usou para expressar a sua criatividade, e é desta forma que o deveríamos apreciar. Os motivos e técnicas que utilizou nunca eram repetidos mas antes variados, desenvolvidos e combinados. Os filmes de Trnka caraterizam-se por uma atmosfera poética; ele desmontava cada tema da narrativa em imagens, tal como nasciam da sua imaginação, para criar um espaço rico de sentimento e estados emocionais, que implementava também  nas suas personagens.

A sua obra inclui filmes famosos, como: “The Czech Year” (Špalíček, 1947), “The Emperor’s Nightingale” (Císařův slavík, 1948), “Bayaya” (Bajaja, 1950), “The Song Of The Prairie” (Arie prerie, 1949), “Old Czech Legends” (Staré pověsti české, 1953), “A Midsummer Night’s Dream” (Sen noci svatojanské, 1959), “Cybernetic Granny” (Kybernetická babička, 1962) e “The Hand” (Ruka, 1965).

Terça 26 | 18H30 | Cinemateca Portuguesa | Sala Luís de Pina

MIL E UMA NOITES

Checoslováquia | 1974 88’

A partir da década de 1970, Karel Zeman, o mestre do cinema checo, começou a fazer obras que só usavam a animação. Zeman inspirou-se nos contos de fadas árabes sobre o marinheiro Sinbad. Os sete curtos episódios originais foram compilados por Zeman nesta longa-metragem, sem no entanto lhes suprimir o seu carácter de episódios. Em “Mil e Uma Noites”, Zeman conta-nos a história de Sindbad na terra dos gigantes, de como ele consegue escapar às tentações da montanha magnética e ao sultão do mar, e, claro, há ainda o tapete voador. De um ponto de vista artístico, Zeman tentou imitar o estilo das miniaturas persas e árabes.

Realização: Karel Zeman

Animação: Arnošt Kupčík, Eugen Spálený

Edição de Vídeo: Ivan Matouš

Produção: Filmové studio Gottwaldov

Distribuição: KRATKY FILM PRAHA a.s.

KAREL ZEMAN

Karel Zeman nasceu a 3 de Novembro de 1910, em Ostromer u Nové Paky, Boémia, no Império Austro-Húngaro. O primeiro filme que realizou foi o poético “Vanocni sen” (A Christmas Dream), pelo qual ganhou o prémio Melhor Marioneta no Festival de Cannes, em 1946. Neste filme, as marionetas movimentavam-se num ambiente real. Borivoj Zeman foi o responsável pela realização da componente não-animada do filme. Zeman foi um escritor e realizador sobretudo conhecido pelos filmes “Cesta do praveku” (Journey to the Beginning of Time), de 1955; “Vynalez Zkazy” (Deadly Invention), de 1958; “Baron Prasil” (Baron Munchausen), de 1962; “Blaznova kronika” (The Jester’s Tale), de 1964; “Ukradena vzducholod” (The Stolen Airship), de 1966; “Na komete” (On the Comet), de 1970; “Mil e Uma Noites”, de 1974; “Carodejuv ucen” (Krabat: The Sorcerer’s Apprentice), de 1977; e “Pohadka o Honzikovi a Marence” (The Tale of John and Mary), de 1980. Karel Zeman faleceu no dia 5 de Abril de 1989, na República Checa. 

Quarta 27 | 18H00 | Cinema Ideal

TERKEL EM SARILHOS

Dinamarca | 2004 | 77’

Uma comédia amalucada sobre amor secreto, um assassino psicótico, barras de ferro, canapés e uma amizade posta à prova. Terkel é um aluno do 6º ano –  um pouco medroso, mas bom rapaz. Terkel não tem uma vida fácil. Stewart, o seu tio psicótico, acaba de espancar os rapazes que o maltratam na escola, Nigel e Saki. Por isso, o que é que se pode fazer para desviar a atenção dos rapazes de se vingarem contra Terkel? Começa-se a gozar com a rapariga feia da turma, Doris Gorda.

Mas quem conseguiria adivinhar que ela saltaria da janela? Que se começaria a receber ameaças de morte? Que o novo professor e grande amigo dos animais, Justin, não tem a consciência limpa e, na realidade, nada é o que aparenta ser? Pelo menos não para Terkel…

Realização: Kresten Vestbjerg Andersen, Thorbjørn Christoffersen, Stefan Fjeldmark

Argumento: Mette Heeno

Edição de Vídeo: Per Risager, Mikael R. Ryelund, Martin Wichmann Andersen

Música: Bossy Bo

Produção: Nordisk Film, A. Film

Distribuição: Danish Film Institut

Sexta 29 | 20H00 | Cinemateca Portuguesa | Sala Luís de Pina 

HARPYA

Bélgica | 1979 | 9’

Durante a sua caminhada, o senhor Óscar testemunha um assalto. Fica muito surpreso ao perceber que o assaltante é uma verdadeira harpia. Curioso, quer saber mais sobre o que viu, o que pode ser muito perigoso.

Realização: Raoul Servais

Distribuição: Cinemateca Belga

TAXANDRIA

França, Bélgica, Alemanha | 1994 | 82’

Um guardião de um farol conduz um jovem príncipe até a um mundo imaginário, Taxandria, onde o príncipe compreende o poder do amor e o valor da liberdade.

Realização: Raoul Servais

Distribuição: Cinemateca Belga

RAOUL SERVAIS

Nascido em 1928, Raoul Servais estudou na escola belga KASK, em Gent. Depois de se licenciar, foi assistente de René Magritte. Em 1963, financiou a criação de um departamento de Cinema de Animação na KASK Gent – o primeiro deste género na Europa. Em 1973, entra na Academia Real para a Ciência e as Artes da Bélgica. De 1985 a 1994, foi presidente da ASIFA –  Associação Internacional de Cinema de Animação. É um dos fundadores da VAF –  um fundo governamental que financia a produção de projetos audiovisuais na Flandres – , e é vice-presidente da Fundação Henri Storck e da Fundação Raoul Servais. Servais é Doutor Honoris Causa na Universidade de Gent desde 2008.

Recebeu mais de 50 prémios, entre os quais se destaca o prémio Herança Norman McLaren do NFB, o Grande Prémio do Júri no Festival de Cannes, uma Palma de Ouro também em Cannes com a sua curta-metragem “Harpya”, e o Grand Prix no Festival de Animação de Annecy, para além de outros prémios importantes em muitos outros festivais na Bélgica e fora do país: Bilbau, Teerão, Montreal, Leipzig, Moscovo, Chicago, Filadélfia, Sydney, Oberhausen, Zagreb, Porto, Roma, Valladolid.

Sexta 29 | 20H00 | Cinema City Alvalade

A ILHA DE BLACK MOR

França 2004 85’

Auto-descoberta, liberdade e amor…

Preso num orfanato, um rapaz de 15 anos conhecido com Kid, não sabe nada sobre quem é ou de onde vem. O ar do orfanato não se compara à brisa do oceano. Kid rouba um lindo veleiro e parte com os seus colegas à procura do lendário tesouro de Black Mor.

Realização: Jean-François Laguionie       

Argumento: Jean-François Laguionie, Anik Le Ray       

Edição de Vídeo: Pascal Pachard   

Som: Christine Webster   

Música: Christophe Héral                       

Produção: Dargaud Media, La Fabrique, Les Films du Triangle, Teva Studio   

Distribuição: Mediatoon Distribution

JEAN-FRANÇOIS LAGUIONIE

Jean-François Laguionie é formado em desenho e teatro. De 1964 a 1972, realizou as suas primeiras curtas-metragens nos estúdios de Paul Grimault, e, de seguida, em Cévennes, onde, em 1979, criou o seu próprio estúdio. De 1984 a 2000, fundou e co-dirigiu a produtora La Fabrique, e realizou as suas primeiras longas-metragens. Jean-François vive na Bretanha desde 2005.

Sábado 30 | 21H00 | Cinema City Alvalade

TINTIM E OS PRISIONEIROS DO SOL

França, Bélgica, Suíça | 1969 | 77’

Uma equipa de aventureiros tropeça sobre a lápide de Rascar Capac e, consequentemente, acabam vítimas de uma estranha doença que os põe a dormir. Ao mesmo tempo, o famoso Professor Calculus é raptado por índios e levado para o Peru. Tintin é chamado para resolver o mistério.

Música original de Jacques Brel.

Realização: Serge Nadaud

Argumento: Eddie Lateste, Jos Marissen, Laszlo Molnar, Hergé

Animação: Nic Broca, Marcel Colbrant, Vivian Miessen, Claude Monfort, Lawrence Moorcroft

Edição de Vídeo: Laszlo Molnar, Roger Cacheux, Jean-Pierre Cereghetti

Som: Claude Ermelin, Jean Neny

Música: François Rauber, Jacques Brel

Produção: BelVision

Distribuição: Mediatoon Distribution